domingo, março 20, 2005

Passeio por Setúbal

Estádio cheio, aplausos para a equipa e treinador, vitórias calmas. Nem parece que se está a falar do Benfica, mas a verdade é que sim, fala-se do 'pseudo-glorioso'.

O futebol é um fenómeno fantástico; há três semanas Trapattoni era vaiado em pleno Estádio da Luz, rogava-se que saísse, a equipa perdia pontos; logo, o italiano era besta; agora, ninguém se importa que ele não ponha a equipa a jogar bem, que continue a insistir em Karadas (que se alguma vez tocou três vezes seguidas na bola, a terceira foi um ressalto), abdicando de Mantorras, mas ganhando jogos; logo, o italiano já é bestial!

Olhando para a tabela vejo o SLB a fugir perigosamente: Boavista e Braga empataram, SCP ou FCP vão perder pontos, se não mesmo, os dois. Rói-me por dentro um grande sentimento de injustiça, não pelo facto de o SCP não ser líder (se calhar um bocadinho), mas pelo facto de o líder o ser, na minha opinião, mais por demérito dos adversários do que por mérito próprio.

O raciocínio é simples e de fácil compreensão: num campeonato normal o líder nunca seria o SLB simplesmente porque a equipa encarnada não teria mais pontos do que os que tem agora, mas FCP e SCP sim; isto é, SCP e FCP, se não fossem tão irregulares estariam na frente, deixando os lampiões lá para trás. SCP e FCP são capazes de muito mais do que aquilo que têm vindo a fazer e já deram provas disso; o SLB não consegue fazer mais do que aquilo que faz e todos os fins-de-semana dá provas disso.

Mas como o campeão é aquele que é mais regular e não aquele que faz um jogo bom de quando em vez, ou aquele que tem a insígnia de campeão na manga da camisola (como Costinha gosta de sublinhar cada vez que marca um golo), este campeonato pode vir a revelar-se uma grande lição de futebol para SCP e FCP: que, actualmente, o que interessa são os resultados, o que leva público aos estádios são os golos, e não derrotas humilhantes como ultimamente tem acontecido.

P.S.: Tiago Monteiro acabou mais um grande prémio de Fórmula 1. Nada mau para quem acabou de chegar.

P.S 1.: intrépido João, gostei bastante da ideia do C&H; boas férias

Carlos Barrocas