terça-feira, maio 03, 2005

A primeira vez custa tanto!

Como em tudo. E o futebol não é excepção.

Mourinho foi eliminado pela primeira vez em três anos de uma competição europeia. Quem viu o jogo viu algo inédito: um Mourinho (quase) resignado ao resultado e que nos últimos minutos não sabia bem o que fazer (também não havia muito a fazer).

Caso tivesse tido a sorte que o acompanhou no FCP quando defrontou o Man Utd no passado teria seguido em frente; bastava o remate de Gudjohnsen ter entrado no último minuto para provar que Mourinho é o treinador com mais sorte no mundo e também para levar o desespero a uma bancada repleta de Beatles.

Resta a consolação do título (que já não é nada mau) e o facto de o Liverpool estar de novo numa final da Liga dos Campeões (sempre tive um ‘fraquinho’ por eles).

Uma última palavra para dar conta do desportivismo dos ingleses (não todos, obviamente) que aplaudiram Mourinho enquanto saía de campo. Assim dá gosto.

Carlos Barrocas