sexta-feira, junho 24, 2005

Obra prima

"Preciso de um herói.
Estou farta de brincar às mães perfeitas, às mulheres de sucesso, às actrizes de talento, às pessoas boazinhas e queridas que têm sempre tempo para ouvir os outros e os ajudar, às bombeiras profissionais que arranjam empregos para toda a gente. Madre Teresa, chamava-me a Verónica, quando me queixava. Andas sempre a pensar nos outros para não pensar em ti, não é? Puta, acerta sempre."

Assim começa mais um romance de Margarida Rebelo Pinto. Pelo primeiro parágrafo consegue-se aferir da qualidade do bicho. As asneiras são recorrentes (merda e puta são sem dúvida as palavras preferidas da 'escritora'), havendo dois ou três parágrafos bastante ricos, com cerca de quinze substantivos ofensivos, seja no plural ou no singular. Versatilidade.

Carlos Barrocas

2 Comments:

Blogger Miguel Santos said...

Da escritora não, senhor Carlos Barrocas, da senhora que escreve.

9:47 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

que escreve não, que vomita palavras.

12:58 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home