quinta-feira, julho 07, 2005

Dizer a verdade a mentir ou a arte de enganar os portugueses

Mais uma vez, o nosso primeiro meteu a pata na poça. Pelo menos a julgar pelo último combate que travou com o ministro das finanças (as portuguesas não merecem letra maiúscula, tão ridículas que são), Campos e Cunha.

Em entrevista à SIC, na noite de ontem, Sócrates afirmou que os funcionários públicos vão ser aumentados de forma "parcimoniosa"[sic]; já hoje, Campos e Cunha (cujo jeito para parlamentar é tão bom como o da minha bisavó analfabeta de 94 para discutir as diferenças entre as teorias de Saussure e Hjelmslev), negou que tal seja possível no quadro económico português.

Deve haver aqui algum problema de comunicação; é que já não é a primeira vez que estes dois se desentendem, mostrando o quão organizadinho anda o nosso governo.

Carlos Barrocas