domingo, fevereiro 26, 2006

O feiticeiro Bento

O Sporting venceu ontem a Académica por 3-0 e alcançou a quinta vitória consecutiva.Conseguiu colocar também muito mais pressão sobre os adversários directos, Benfica e Porto, que se defrontam hoje. E seja qual for o resultado desse jogo, o Sporting sai sempre um pouco mais contente. Se o Benfica vencer, aproxima-se do FCP, ficando apenas a 2 pontos, com os portistas a terem ainda que se deslocar a Alvalade. Se o FCP ganhar vê o fosso para o rival da 2ª circular aumentar para seis pontos, tendo ainda a vantagem do confronto directo em caso de igualdade no final. Se empatarem...melhor ainda. Fica a depender apenas de si próprio para chegar ao primeiro lugar e continua a ver o SLB de longe.

Tudo isto depois de um início de campeonato conturbado, com derrotas inesperadas (não só em Portugal, mas também na Europa) e até algumas humilhantes (3-0 em Paços de Ferreira). O jogo contra a Académica na primeira volta marca o ponto de viragem. Foi depois da derrota com os estudantes que Peseiro foi demitido e entrou Paulo Bento, visto ao início como 'tapa-buracos', uma solução a prazo que poderá revelar-se na melhor escolha que o Sporting podia ter feito.

Com Paulo Bento, o Sporting ganhou consistência, vontade, garra; tudo aquilo que faltava nos tempos de Peseiro (nesta época, não está em causa o excelente trabalho da época passada).

Dando segurança e confiança a Ricardo, Bento fez com que o internacional português entrasse numa fase muito positiva, possivelmente a melhor desde que chegou ao Sporting.

A defesa ganhou rotinas. Finalmente com dois bons laterais (Abel e Caneira), as melhores contratações de Inverno dos clubes portugueses, pelo menos em termos de rendimento, e com uma dupla de centrais que se complementa (Polga e Tonel), o Sporting não sofre golos de bola corrida há 5 jogos. Recuperou o afastado Hugo e matou dois coelhos com uma cajadada ao enviar Beto para França: deu a oportunidade de jogar no estrangeiro a um jogador que perseguia esse objectivo há já quase 7 anos, e eliminou possiveis problemas de liderança no balneário.

O meio campo é agora muito mais combativo e produtivo. Custódio percebe que tem que trabalhar muito mais se quiser ser, algum dia, o melhor trinco português (porque tem qualidades para o ser, e até atingir outros patamares); Nani transformou-se na nova promessa do futebol leonino vindo das camadas jovens; Carlos Martins pratica um futebol muito mais racional e clarividente,sem nunca deixar de lado a entrega que sempre o caracterizou; Romagnoli começa a aparecer cada vez mais e sabe que tem que o fazer se quiser estar presente no Mundial deste ano;João Moutinho encontrou o seu lugar na equipa, ajudando cada vez mais a leva-la para a frente e conseguindo até marcar golos, algo que só começou este ano; Sá Pinto reencontrou a paixão de jogar à bola e parece querer deixar a sua marca no ultimo ano como profissional.

Mas foi na frente que Paulo Bento conseguiu as maiores vitórias. Depois do desentendimento com Liédson, retirou-o da equipa e deu uma oportunidade a Deivid, do qual muito mal se pensava em Alvalade. Deivid correspondeu, marcou golos, e Liédson percebeu que não é insubstituível. O castigo serviu para transmitir ao grupo que quem manda é o treinador. Serviu também para motivar o jogador, que, depois do regresso, resolveu o dérbi com o Benfica e marcou ontem um dos melhores golos desde que joga em Portugal, encostando-se a Nuno Gomes na lista de melhores marcadores. Pelo meio ainda renovou o contrato, acabando com uma 'novela' que durava desde o Verão.

Mais tarde, depois do regresso tardio das férias de Natal, Deivid e Polga sentiriam também a pesada mão disciplinadora de Bento, reforçando a sua imagem de líder perante os jogadores, algo que nunca aconteceu com Peseiro.

Conseguiu ainda encurtar o plantel, desfazendo-se de jogadores que nunca iriam ter oportunidades este ano (Semedo e Varela) e outros que destabilizavam a equipa ou não tinham um rendimento adequado a um clube como o Sporting (Beto e Wender).

É esta imagem de líder inabalável, forte, coeso e disciplinador que Paulo Bento impôs e que transformou o Sporting num candidato ao título depois de quase todos o terem morto e enterrado. Joga também a seu favor o facto de ter deixado o futebol há apenas 2 anos, tendo jogado ainda com alguns elementos do plantel e sabendo perfeitamente aquilo que deve dizer aos jogadores antes das partidas.

Em pouco mais de um mês ultrapassou Braga, Nacional e Benfica; aperta os calcanhares ao FCP e transformou o Sporting na equipa mais concretizadora do campeonato.

E depois da vitória de ontem pode sentar-se descansado no sofá, a ver o clássico SLB-FCP, sabendo que, independentemente do resultado, sai sempre a ganhar.

Carlos Barrocas

2 Comments:

Blogger Daniela said...

nix! escreves pa cacete!!

12:15 da manhã  
Blogger erü said...

SLB! SLB! SLB!

=D

Bento... tsc! Queriam vocês ter um como o nosso!! Como diz o maluquinho da minha aldeia, "misérias... pior que eu!"

3:02 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home