sábado, março 26, 2005

Uma teoria de relatividade

Quando estou em Lisboa, mais precisamente, refugiado no meu bunker da Estrela, desconfortavelmente sentado na sala escaldante onde posso ligar o meu portátil à ligação Netcabo (mais instável que os humores de Santana Lopes), tenho saudades dos tempos da minha free-wireless, onde, no conforto (também ele relativo... muito relativo...) do meu quarto, me podia ligar ao mundo, completamente à vontade, de frente para a janela, sem me preocupar com limites de downloads ou outros pormenores técnicos. No entanto, quando venho para a santa terrinha de férias, e durante duas semanas tenho de gramar com a minha old-fashioned ligação analógica da Clix, a pagar ao minuto, e lenta como o trânsito na Duarte Pacheco, o meu coração deixa-se invadir de saudades do calor abafado daquela sala, da ligação sempre a cair, do fumo do tabaco, das cadeiras desconfortáveis. Fernando Pessoa tinha razão: ser descontente é ser homem.
João Campos

3 Comments:

Blogger azurara said...

Ainda há "santas terrinhas" sem ADSL ou Cabo?
Páscoa feliz.

Azurara

3:14 da manhã  
Blogger azurara said...

As empresas de comunicações têm, em Portugal, um "maná". Essas, como todas as outras que escapam à livre concorrência. Essa história das infraestruturas (de telecomunicações, de energia, de gás, etc) serem propriedade de uma única empresa, é no que dá.
Quanto à câmara, é óbvio - coligação PSD-CDS. Mas o problema não é de cariz político-partidário. É uma "destilaria" de inveja e ódio pessoal.
Cumprimentos.

1:35 da tarde  
Blogger Teresinha said...

Ola =) sempre tas melhor que eu, cada vez que vou para a santa terrinha desconecto-me totalmente do mundo :( sim, porque nem o telemovel tem rede...lol
beijos*

7:55 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home