quinta-feira, maio 05, 2005

Erro genético

Conheço inúmeros portugueses felizes com a derrota de José Mourinho na Liga dos Campeões. O argumento mais recorrente evoca a sua arrogância natural, que faz com que não se goste dele. Pronto, o homem é um convencido, tem a mania que é bom. Não conhece a humildade. Tem a mania de que é bom. Por isso, não presta. Logo, é bom que se lixe sempre que puder.
Já fui adepto desta retórica. Mas cresci um bocadinho, e à medida que fui vendo o percurso de Mourinho, lendo as suas declarações, fui percebendo a sua personalidade. E vi um novo Mourinho. Não arrogante, mas ambicioso. Mais: ambicoso com moral para o ser. Não é humilde, é verdade. E tem de o ser? Ele é bom - arrisco, o melhor- naquilo que faz e tem consciência disso. Para quê falsa modéstia?
Geneticamente, Mourinho não pode ser português. É um erro, um lapso da Natureza, mais raro do que um trevo de quatro folhas. Porque o português típico é mesquinho, não tem ambição, é dono de superioridade moral sem ter feito nada para a conquistar, dando-se ao luxo de falar sobre aquilo que quiser como se fosse o dono da razão e da sabedoria. Não tem ambição, não quer ter e tem raiva de quem a tem. No íntimo, julga-se o maior, mas menospreza-se hipocritamente apenas para ouvir os outros lhe darem valor. Pensa baixo, o mais baixo possível. Conquistar o que quer que seja dá demasiado trabalho - melhor é ficar à sombra da bananeira (ou do eucalipto) à espera que tudo caia do céu. E Mourinho é o oposto de tudo isto.
João Campos

4 Comments:

Anonymous Anónimo said...

oi! Adorei o que escreveste do Mourinho. Realmente é convencido e arrogante, mas não só. É sincero, diz o que pensa sem pensar nas consequências e isso pode ser o melhor que alguém pode ter. Eu gosto do Mourinho há muito. Só tive pena que ele tivesse saído do Benfica. E apesar de ele ter ganho tudo pelo Porto continuei a admirá-lo. Mas não concordo que ele seja um erro genético. Muito pelo contrário, temos que nos orgulhar que ele seja português e que ele não tenha vergonha de apreguar ao mundo que o é e principalmente que o diga com orgulho. E não te esqueças que apesar da descrição que tu fizeste do tipico português, existem alguns géniozinhos que fogem á regra. Esses poucos que se esforçam e conseguem o que querem. Isso não é ser arrogante e convencido. Porque não sê-lo, quando sabemos que somos bons naquilo que fazemos? Beijos
nockaas

6:25 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

...pensei que não voltasses a falar a serio de futebol...

7:01 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

...pensei que não voltasses a falar a serio de futebol...

7:01 da tarde  
Anonymous João CAmpos said...

Anonymous: não sei porquê, mas quando escrevi o texto fiquei com a sensação de que tinha falado de José Mourinho. Mas obrigado pelo seu comentário - é bom saber que anda atento(a) àquilo que escrevo.

Nockaas: Concordo inteiramente. Ainda assim surpreendeste-me. Pelo comentário como pela tua mudança de posição. Vemo-nos em Faro:)

7:41 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home