sábado, janeiro 07, 2006

Saiu-lhe o Euromilhões

Primeiro que tudo queria desejar mais um ano cheio de excelentes posts aos meus companheiros de blogue, que tão bem têm contribuído para um esforço de oposição à tendência social gritante para desvalorizar quem tem opiniões próprias e quem valoriza e enaltece a língua portuguesa. Bom ano!

Num destes dias dou por mim a passar os olhos por uma folha de um qualquer jornal diário português onde vinham os orçamentos eleitorais para a batalha a Belém que se avizinha. Pode parecer suspeito, até mesmo parcial, o comentário que vou tecer de seguida, por nutrir (como eu, mais alguns milhões) uma certa antipatia com o Sr. Silva, parece-me até que o senhor é mestre na arte. De facto, não se trata disso. Vejo nessa folha de jornal, apelidado de “jornal de referência”, que esse candidato vai despender o insignificante montante de 3 milhões de euros em actos propagandísticos.

Se bem me lembro essa mesma figura paladina da contenção e do rigor apresentava como uma das suas “mais valias” o seu pretenso suprapartidarismo. Ora esse tipo de atitude sugere-me alguns comentários que me parecem bastante sensatos para um cidadão minimanente atento e curioso.

Se esse candidato não se quer ver associado na campanha a esses partidos, eu compreendo, até entendo num quadro de estratégia eleitoral.

Que não queira aparecer em cartazes onde esteja o Santana Lopes, percebo ainda melhor.

Agora quando se vem para uma campanha eleitoral falar de candidaturas suprapartidárias que conseguem as 7500 assinaturas necessárias num ápice, fazem acções de campanha em todo o país com uma logística equivalente à partida do Lisboa-Dakar e têm um orçamento de 3 milhões de euros para jantares e sacos plásticos, eu pergunto:

Será que o Senhor é assim tão rico que ele próprio paga esses 3 milhões de euros alegre e descontraidamente porque, de um momento para o outro, achou que “Portugal precisava dele”? Não será antes ele a precisar do partido para pagar as contas?

João Teago Figueiredo

1 Comments:

Anonymous João Campos said...

Questão mázinha, mas mesmo muito pertinente! Bom ter-te de volta! Bom Ano!
Abraço

12:20 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home