quinta-feira, janeiro 13, 2005

O futebol...

...é somente um jogo. Pelo menos para mim, que não sou adepto. Não me consigo emocionar com um jogo - e, como é evidente, sou incapaz de compreender como um jogo consegue suscitar as emoções, acções e reacções que todos já vimos vezes sem conta.

Ontem acabava de jantar quando começou o desafio entre o Chelsea e o Manchester United, a contar para a Taça da Liga inglesa. Não me fui embora da sala, vi a primeira parte. Recordo o momento em que um jogador do Manchester é travado em falta na grande área adversária. O árbitro deixa seguir, não assinalando o penalty. Pormenor a reter: não houve jogadores a rodearem o árbitro, teinadores a praguejarem que nem uns desalmados, objectos voadores não identificados arremessados pelos adeptos. Não vi o depois, mas duvido que na conferência de inprensa tenham havido declarações ácidas de treinadores (mesmo sendo Mourinho e Queirós portugueses) ou troca de postas de pescada nos tablóides desportivos do dia seguinte. Após o lance, jogo seguiu, bem disputado, ao mais alto nível como só o futebol britânico consegue. Gostei daquilo que vi, sinceramente. E não consigo deixar de pensar: comparado com o profissionalismo, o fair-play e a entrega ao jogo das equipas inglesas, o futebol português - leia-se Superliga - é triste, amador, provinciano - quase um solteiros versus casados da santa terrinha. É a diferença evidente em lidar com gentlemans ou com peixeiras.

João Campos

1 Comments:

Blogger azurara said...

Sabe, esse tipos ingleses têm mais de 200 anos de experiência em democracia. Nós ainda não sabemos muito bem o que é.

Azurara

12:02 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home