sábado, março 12, 2005

Comunicação Interna - Escola Superior de Comunicação Social

Aquela conversa de início de aula foi curiosa (aliás, todo aquele início da aula de THI foi curioso). Para quem não sabe: na Escola Superior de Comunicação Social, onde estudo, existe uma certa "oposição" (falta-me um termo mais apropriado) entre os alunos dos cursos de Jornalismo (entre os quais se incluem eu e o Carlos) e de Comunicação Empresarial. Este atrito surge devido ao trabalho que envolve cada curso - e os nossos colegas de CE são os auto-proclamados mártires da escola, sempre atarefados, sempre cheios de trabalhos complicadíssimos, sempre a abdicar da sua vida própria em prol do curso, etc, etc.
Tudo bem. Sejam mártires à vontade - isso é com eles, assim como ser homem ou mulher bomba das brigadas suicidas islâmicas é lá com eles (whether they're brainwashed or not). O atrito surge quando os alunos de Jornalismo ganham a fama de, passe a expressão, "não fazerem a ponta de um corno."
O que não é de todo verdade. E era contra isso que a Susana, uma das poucas pessoas que conheço com "aquele" rasgo de genialidade (um beijinho, rapariga... as ondas, têm estado boas?), se indignava naquele começo de aula. Porque esse estereótipo ridículo partia da parte dos colegas de CE, porque eles têm muitos trabalhos práticos, é verdade, mas não têm que ler sequer metade daquilo que nós temos para as nossas frequências, recensões, ensaios, trabalhos de investigação, dossiers de imprensa. Porque os nossos colegas de Audiovisual e Multimédia e de Publicidade e Marketing estão na deles, fazem a sua vidinha e não se estão para se chatear com estereótipos.
Faço minhas as palavras da minha amiga. E mais acrescento: não parte apenas dos colegas de CE, mas de alguns professores também (há histórias). Não parte de todos - dou-me bem com pessoas de CE, muito bem, até, com algumas. Mas conheço as bocas da praxe: "achas que tenho tempo? Sou de CE!", ou "estou tão cansada desta me#+@", ou - e são estas aquelas que me chateiam - "deves pensar que sou como tu, que não faço nada". Hey! Spare me, if you don't mind. Acredito que o curso de CE exija muito trabalho, mas não me venham com tretas: a malta de Jornalismo farta-se de ler, de pesquisar, de escrever - mais, muito mais, do que os futuros Relações Públicas da escola. Como disse: sejam mártires à vontade. Mas é incorrecto quererem martirizar-se por comparação.
Espero sinceramente que os caloiros deste e dos próximos anos lectivos consigam ir apagando estes estereótipos. A ver se algumas conversas mais azedas se extinguem.
João Campos

2 Comments:

Blogger azurara said...

Olá.
O que é que se faz com um curso de Comunicação Empresarial?

1:10 da manhã  
Blogger azurara said...

Há dias em que fico mesmo obtuso.
É claro. Estava-se mesmo a ver. Comunicação Empresarial -> Relações Públicas.
Thanks.

5:34 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home