terça-feira, novembro 08, 2005

out of curiosity*:

constatei há dias, no meio de uma aula, que a banda desenhada e o mundo dos brinquedos podem ser - de acordo com os padrões moralistas que por vezes parecem querer ressurgir - potencialmente perigosos para os petizes. Se não, repare-se: no universo Disney, todas as famílias são atípicas. Não há pais ou mães, apenas tios (tias) e sobrinhas. Patinhas é tio do Donald, que por sua vez é sobrinho dos três patitos com nomes em diminutivo. Da mesma forma, Margarida é tia de três patitas, e Mickey (que mantém com Minnie a única relação aparentemente "normal" deste mundo) é tio de, se bem me lembro, dois ratitos.
Já a Avó Donalda é tratada por "vóvó" igualmente por Donald e pelos seus sobrinhos. O que me leva a concluir que ela é tia de Patinhas, mãe da mãe ou do pai de Donald e avó de um dos pais dos três patitos. Então porque nunca fala dos filhos?
A coisa piora: se também Margarida se refere a Patinhas como "tio", isso quer dizer que ela e Donald são, à partida, irmãos. Ou seja, temos incesto. Como podem então os sobrinhos de ambos (que também parecem ter alguma relação entre si) crescer saudáveis e sem traumas, com os pais - que são irmãos - a manterem uma relação amorosa (já de si instável)? Não basta terem famílias completamente desmembradas?
O mesmo no mundo dos brinquedos. A loura Barbie não tem filhos (deve ser por causa da linha), mas tem uma sobrinha. Da mãe da miúda, que eu saiba, não há notícias. Vive com a tia. Ora a Barbie fartou-se do Ken e divorciou-se. Rumores há de que o ex-namorado da loura é homossexual. O interessante é que no mundo Barbie não há mais personagens masculinas (que eu conheça). Ou seja: mesmo que o Ken quisesse ser gay, não tinha com quem sê-lo; quanto muito, poderá ser bicha. E Barbie, na ausência de Ken, com quem anda? O Action Man e o G.I. Joe andam sempre em guerras, e não me cheira que a loura, com aquele corpito, seja rapariga de ficar em casa, de luto, à espera do amado. Restam as suas amigas.... e eis mais um bom exemplo a dar à sobrinha (já que é senso comum que as lésbicas são, regra geral, bastante bem feitinhas). E agora, não se fala nos perigos da adopção de crianças por casais homossexuais? Quando irá a assistente social retirar a pequena dos cuidados da tia lésbica?
Pais e mães de todo o mundo: pensem bem nos que andam os vossos filhos a ler, ou com que bonecos andam eles a brincar. O melhor é tirarem-lhes as bandas desenhadas das mãos e darem-lhes qualquer coisa mais instrutiva. E comprarem brinquedos mais educativos. Nos dias de hoje, já não se pode confiar em coisa nenhuma.
João Campos
*ou "porque há vida para além de Paris"

3 Comments:

Blogger Daniela said...

Muito bom!Nunca tinha pensado muito neste assunto mas tens razão no que dizes.Queria só acrescentar que o Ken e a Barbie têm um amigo que, com aquelas medidas perfeitas, devem fazer as delícias do modelo. Além da profanação da instituição do casamento, houve aí uns tempos em que a Barbie esteve grávida e teve um filho; deve ter dado para adopção ou deixado ao cuidado da sua irmã(mais uma vez o papel das tias) não é por acaso que a senhora tem tanto tempo livre p'o engate e para algumas loucuras.
Enquanto modelos homossexuais os bonecos já foram representados num album de fotografias cujo nome não consigo lembrar agora(ver Fnac do Chiado). Os Avós continuam intactos(apesar terem ganho algumas rugas)por isso vão acolhendo a criançada da desvairada produção dos nefastos. Mas têm dinheiro para os sustentar nem que para isso precisem de fazer mais publicidade para a Benetton, vender os coches, a casa de praia ou as mansões reais.
*
É verdade: o novo modelo do mundo bonito de plástico da Mattel é a Barbie mensagens de telemóvel, vamos lá ver as repercussões disto.

11:31 da manhã  
Blogger Maria Helena said...

Brilliant, Johnny ! Que é que acha da amizade entre o Asterix e o Obelix ? E que dizer do Capitão Haddock, do Tintim e do /a Milú ?Humm, I smell something fishy ...

8:45 da tarde  
Blogger erü said...

Bom, o Obélix será sempre apaixonado pela jovem Falbala...já quanto ao Astérix, a coisa é suspeita. Não conheço bem Tintin... mas aquela franja do jornalista, a juntar ao caniche, é realmente suspeita... :)

12:12 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home