segunda-feira, setembro 05, 2005

Got milk?

O mundo da política é, decididamente, feito de antíteses, oxímoros e paradoxos. Reflexão mais ou menos rápida: os socialistas acusaram Durão Barroso de ter "fugido" ao "pântano", e defendem Guterres, esse grande primeiro-ministro, que não fugiu - simplesmente, coitado, não tinha condições de continuar a governar. Agora, há quem afirme (Vital Moreira, no Causa Nossa - blog que até já merece link aqui ao lado) que quem deixou a política daquela maneira há seis meses não pode regressar assim, referindo-se a Paulo Portas, à sua saída da vida política aquando da derrota nas eleições-aborto, e a um eventual regresso como candidato presidencial.
Talvez seja eu que sou muito novo e inculto para perceber estas coisas. Afinal, não seria por acaso que na democracia ateniense, os jovens estavam afastados da vida política - essa, era para os adultos, maduros, de longa cruzada na vida (mais ou menos como aquele slogan de perfume: os rapazes ainda vão ter de esperar). No entanto, eu tenho ideia de Mário Soares ter abandonado a vida política. Disse "basta", ou algo que o valha, não foi? E disse também que uma recandidatura seria um "erro brutal", certo? Perdoem-me alguma imprecisão, estou certo de que a ideia é a mesma.
Todavia, continuo sem perceber as diferenças.
João Campos

2 Comments:

Anonymous Raistaparta said...

É aqui que cabe dizer que ' só os burros não mudam '...
Alguns ir-se-ão lembrar que o avô Bochechas disse isso porque *nessa altura* (não me lembro deste facto, mas há sempre uma altura para dizer estas coisas ...) *uma recandidatura, seria um erro brutal*. Hoje, não será ( é tb uma coisa que se diz, quando se disse a outra que está dentro do outro parêntesis ). E, cá para nós, o Marocas deve estar a sentir o imenso gozo de chegar aos 80 e ver-se querido, requerido e preferido. É verdade que José Chocas poderia ter apoiado o Manuelinho, mas ... deve ter achado as bochechas de um mais apetecíveis que a voz preciosa do outro. Choses !

5:08 da tarde  
Anonymous João Campos said...

Então, pela mesma lógica, quando o Paulo Portas renunciou à vida política tomou a decisão certa (verdade); no entanto, as coisas mudaram, e regressar à vida política agora já não seria um erro, mas apenas uma inevitabilidade. Como disse, e bem, "só os burros não mudam".
:)
(atenção que não defendo o Paulo Portas)

1:01 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home